Margem de Contribuição - Quanto Sobra para Sua Empresa

Antes da leitura deste item, aconselhamos primeiro a leitura do item:
“Como calcular os custos no comércio e sua influência nos preços”.

MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO – QUANTO SOBRA PARA SUA EMPRESA?

O termo Margem de Contribuição tem um significado igual ao termo Ganho Bruto sobre as Vendas. Isso indica para o empresário o quanto sobra das vendas para que a empresa possa pagar suas despesas fixas e gerar lucro.

Em qualquer que seja o segmento, Indústria, Comércio ou Serviços, é perfeitamente possível e fácil se apurar o valor e o percentual respectivo da Margem de Contribuição.

Para a explicação deste item, precisamos inicialmente saber qual o percentual que as Despesas Fixas representam das vendas, que neste caso usaremos como exemplo a seguinte fórmula:

Valor total das Despesas Fixas dividido pelo valor total das Vendas.
Exemplo: R$36.000,00 ÷ R$240.000,00 =  15%.

Mas por que esse nome, Margem de Contribuição?

• Margem por que é a diferença entre o preço de venda e os valores dos custos e das despesas específicas destas Venda, ou seja, valores também conhecidos por Custos Variáveis e Despesas Variáveis da venda.

• Contribuição porque representa em quanto o valor das vendas contribui para o pagamento das Despesas Fixas e também para gerar Lucro.

Para encontrar a Margem de Contribuição, é preciso realizar a seguinte conta:

Vlr. das Vendas – (Custos Variáveis + Desp.Variáveis) = Marg. de Contrib.

O valor encontrado ao se utilizar esta fórmula representa o quanto a empresa consegue gerar de recursos para pagar as Despesas Fixas e obter Lucro.
Quando o valor da Margem de Contribuição for superior ao valor total das Despesas Fixas, a empresa estará gerando lucro e, quando for inferior, o resultado será entendido como prejuízo.

É normal termos em qualquer empresa produtos/serviços com preços, custos e despesas diferentes uns dos outros. Por isso, é muito importante apurar a margem de contribuição de cada produto/serviço.

Atenção! Ao analisar a margem de contribuição unitária de qualquer produto/serviço em sua empresa, lembre-se que nenhum deles deverá apresentar margem que não contribui, ou seja, quando o valor do preço de venda é inferior à soma dos valores de despesas variáveis e dos custos variáveis, não contribuindo, portanto, para pagar as despesas fixas e gerar lucro.
A margem que não contribui pode ser aceitável em uma empresa quando estiver relacionada a alguma estratégia promocional de vendas, isto é, com total conhecimento de seus gestores. Mas ainda assim, deve-se avaliar se as vendas de outros produtos, agregadas ou não à promoção, apresentam margens que compensem a margem de contribuição negativa (preço de venda inferior aos custos variáveis e despesas variáveis) de algum produto/serviço que esteja nesta condição.
Entretanto, o objetivo principal do empresário, nesta questão, deve ser a busca constante da melhor margem de contribuição para seus produtos, e isso dependerá sempre das negociações que puder fazer para reduzir os valores dos custos e das despesas variáveis. Ter o valor do preço de venda aumentado é também uma saída, mas isso não poderá ser feito se o preço reajustado deixar de proporcionar competitividade frente aos concorrentes.

Com as informações acima, vamos para o exemplo prático:

Vamos considerar um produto qualquer em que o valor de custo variável seja de R$15,00. Considerando uma margem de 50% sobre o custo para definir o preço de venda, esse produto seria vendido por R$ 22,50 (R$15,00 + 50%).
Logo, a margem de contribuição, considerando que as despesas variáveis desta empresa representam 10,5% sobre o preço de venda (impostos 4%, comissão 3% e taxa de cartão 3,5%), é de:

Cálculo de margem de contribuição R$ % Cálculo dos percentuais
+ Preço de venda 22,50 100,00 O preço de venda ou a venda total é sempre igual a 100%
- Despesas variáveis (10,5%) 2,36 10,50 R$ 2,36 / R$ 22,50 x 100
- Custo variável 15,00 66,67 R$ 15,00 / R$ 22,50 x 100
= Margem de contribuição 5,14 22,84 R$ 5,14 / R$ 22,50 x 100


Veja que a Margem de Contribuição, isto é, a contribuição deste preço de venda para pagar as despesas fixas e gerar lucro, é de R$ 5,14 por unidade ou 22,8% do preço de venda.

Vamos ver agora como fica a Margem de Contribuição se praticarmos 35% sobre o custo, neste caso o preço de venda seria R$20,25 (R$15,00 + 35%).

Cálculo de margem de contribuição R$ % Cálculo dos percentuais
+ Preço de venda 20,25 100,00 O preço de venda ou a venda total é sempre igual a 100%
- Despesas variáveis (10,5%) 2,13 10,50 R$ 2,13 / R$ 20,25 x 100
- Custo variável 15,00 74,07 R$ 15,00 / R$ 20,25 x 100
= Margem de contribuição 3,12 15,41 R$ 3,12 / R$ 20,25 x 100


Veja que a margem de contribuição caiu de 22,8% para 15,4% sobre o valor do preço de venda, e é com essa margem que a empresa pode contar para pagar as despesas fixas. Note que se as despesas fixas representam 15% das vendas, não existindo aumento do valor total de vendas e nem diminuição do valor total das despesas, o resultado final será praticamente zero.

Usando este exercício, será possível:

• entender que o ganho bruto não é simplesmente o percentual aplicado sobre os custos variáveis;
• definir o preço de venda avaliando a margem de contribuição e os reflexos que isso provocará no volume necessário de vendas e não em função do preço da concorrência;
• identificar o volume mínimo necessário de vendas para pagar as despesas fixas – o ponto de equilíbrio;
• identificar o volume mínimo de vendas para pagar despesas fixas e ainda gerar um determinado valor de lucro;
• elaboração das tabelas de preços considerando descontos especiais em função do volume vendido a um mesmo cliente.

Fonte pesquisada: Sebrae

 

Visitas Online

Nós temos 5 visitantes online

Delphin Contabilidade © todos os direitos reservados

Desenvolvido por Internet Viva